“Se eu for franco as pessoas não vão gostar de mim. Isso não vai dar certo, sempre foi assim. Em time que está ganhando não se mexe. Criatividade é coisa de artista. Eu nasci assim, não vou mudar. Sou pobre, mas sou feliz…”

Se você tem pensamentos como esses, saiba que isso são modelos mentais e que eles são determinantes para o seu sucesso ou fracasso.

Os modelos mentais são aqueles pensamentos arraigados em nós e através deles tentamos explicar a nós mesmos e o mundo à nossa volta. Eles influenciam negativa ou positivamente a nossa forma de ver e agir.

Ficou curioso e quer saber como esses e outros pensamentos podem impactar sua vida?

Leia o artigo até o fim para descobrir como a Inteligência Emocional pode lhe ajudar a construir modelos mentais positivos para alcançar a Alta Performance e viver uma vida mais feliz.

 Conhecendo melhor o conceito 

Todas as pessoas têm os seus próprios modelos mentais, que é resultado de todas as suas experiências, situações experimentadas e histórias de vida.

E é a partir desses modelos mentais que nós construímos e fazemos nossas interpretações e julgamentos a respeito do mundo ao nosso redor.

De acordo com Daniel Goleman, best-seller internacional e “pai” da Inteligência Emocional, todo comportamento humano é condicionado por modelos mentais.

Ainda segundo o próprio Goleman, a fonte da cada modelo mental é a maneira pela qual cada um de nós organiza e dá sentido às próprias experiências.

E quais são as fontes dos modelos mentais? 

Os modelos mentais de cada um se originam de 4 fontes: sistema nervoso, linguagem, experiência pessoal e cultura. E essas fontes podem ser entendidas como filtros pelos quais nossos modelos mentais passam.

  • Sistema Nervoso

Cada um de nós possui algumas limitações, seja de ordem cognitiva ou fisiológica, e elas nos impedem de perceber acontecimentos ao nosso redor, gerando impactos em nossa vida e nos limitando em algumas ações.

Poe exemplo, uma pessoa com daltonismo não terá a mesma percepção de uma imagem que uma pessoa com visão normal.

  • Linguagem

É por meio da linguagem que nós nos comunicamos, e quando transmitimos uma informação contamos as nossas percepções, e elas têm relação direta com a interpretação que cada um de nós faz sobre os acontecimentos.

Um exemplo simples: pipa ou papagaio? Aipim, macaxeira ou mandioca? No brasil com dimensões tão continentais fica bem evidente que nossa percepção e interpretação sobre determinado objeto ou situação podem ser bem diferentes, mesmo tendo significados iguais.

  • Experiência pessoal

Todo indivíduo possui passado, experiências e histórias. É oriundo de uma nacionalidade, pertencente a uma raça e  está inserido em uma família, sociedade, e tudo isso têm forte influência sobre os modelos mentais que cada um constrói.

Por isso algumas atitudes que talvez para você pareçam óbvias ou incontestáveis, para outras pessoas não façam sentido algum, justamente porque essas pessoas têm valores diferentes dos seus e pertencem a contextos também diferentes.

  • Cultura

Esse “filtro” é muito parecido com nossas experiências pessoais, a diferença é que esses padrões de pensamentos ou modelos mentais não são individuais e sim coletivos.

Nossas experiências são compartilhadas dentro da família, escola, ambiente de trabalho, e elas estão inseridas dentro de uma cultura, que por sua vez, pertence a uma sociedade.

É evidente que todos os padrões de pensamentos que você criou até hoje e a forma como você vê o mundo tem relação direta com a cultura à qual você esteve inserido ao longo da vida.

Nosso grande desafio é abrir nossas mentes para enxergar o mundo com outro olhar, por outro ângulo, sob um prisma diferente, a fim de evitarmos conflitos e buscarmos a Alta Performance em nossas vidas.

 

Alguns modelos mentais atrapalham o seu crescimento 

 

Nossos modelos mentais são responsáveis por nos impulsionar ou nos limitar em direção à Alta Performance.

Existem muitos argumentos que utilizamos para justificar a nós mesmos e também as atitudes dos outros que podem estar bloqueando nossa evolução e nos gerando conflitos:“Nem vou tentar porque não vai dar certo. Não tenho capacidade para isso. Não consigo.”

Se você busca desenvolvimento pessoal precisa estar atento ao modo como e reage ao mundo, se os seus padrões de pensamento não estão presos à convicções que não te geram resultados, pelo contrário, bloqueiam seu crescimento.

Quantas pessoas você talvez não conhece que se privaram de algumas situações porque tiveram experiências ruins, e construíram modelos mentais que as impediram de produzir novas histórias?

Conheci um executivo, e pude contar sua história em meu livro #Atitude que te Move e agora vou partilhar com vocês para que entendam como um modelo mental pode trazer forte impacto em nossas vidas.

Que história é essa P.A.?

Esse executivo acreditava que as pessoas que não se posicionavam não eram respeitadas, e sempre dizia que não dava abertura a ninguém: “Eu falo, vou direto ao ponto, dou carteirada, é assim que funciona”.

Fui tentando entender sua história, e numa conversa, ele mesmo descobriu que aquilo era mais forte do que ele, algumas vezes até gritava com a esposa, acreditando que daquele jeito estava sendo respeitado por ela, e foi então que num insight eu perguntei a ele quem não o havia respeitado em sua vida, e num instante depois ele me contou que quando era criança, os pais se divorciaram, seu pai o abandonou e logo em seguida ganhou um padrasto.

E foi exatamente nesse período que aconteceu um episódio que o marcou profundamente e que acabou criando um novo modelo mental em sua vida.

Em um dia de pescaria com o padrasto, na meninice de uma criança, ele mexeu nos equipamentos de pesca sem a permissão e o padrasto numa atitude imprudente o pendurou de cabeça para baixo no rio.

A partir daquele dia, ele se fechou para todas as relações e decidiu que daquele dia em diante ia se posicionar em relação a todas as coisas.

Ele criou uma couraça, tinha raiva, e essa era a única forma com a qual ele sabia se proteger, acreditando que para ser respeitado precisava demonstrar posicionamento.

Depois daquele desabafo, eu fui fundo em nossa conversa e perguntei se aqueles comportamentos não poderiam afetar todas as relações ao seu redor? Se agindo daquele jeito ele não estaria reproduzindo um modelo mental que não era dele?

Durante muito tempo, ele prejudicou o relacionamento com o filho reproduzindo os comportamentos do padrasto, com a esposa quando a xingava acreditando que seria respeitado, e com a própria mãe.

Ele reproduzia modelos mentais que o impediam de construir novas histórias.Se você ainda não percebeu, esse é o poder dos modelos mentais!

Se questione sobre os seus: você sabe reconhecê-los? Eles podem ser moldados? Eles te limitam?

Uma habilidade importante para conseguir enxergar o mundo com outro olhar e viver uma vida com alta performance é desenvolvendo modelos mentais positivos a partir da Inteligência Emocional.

Construindo modelos mentais positivos a partir da Inteligência Emocional

Os modelos mentais estão presentes em todos os momentos da nossa vida, e até mesmo antes de nascermos, e por mais que você acredite que possa ignorá-los, lá eles estarão.

Por isso é preciso tomar cuidado para que você não caia no piloto automático e comece a reproduzir inconscientemente padrões de pensamentos que não sejam positivos.

É muito importante aprendermos a usá-los a nosso favor, a fim de impactar de maneira positiva todas as nossas ações e a nossa vida como um todo. Mas como assim P.A.? Através da Inteligência Emocional.

E através da Inteligência Emocional você pode desenvolver habilidades e capacidades que irão te auxiliar a reconhecer, entender e lidar com seus modelos mentais, desenvolvendo a habilidade de administrar suas emoções e a dos outros.

Esse processo é complexo e exige muita reflexão e autoconhecimento. Mas se você deseja ter desenvolvimento pessoal e ser um profissional de alto desempenho alcançando a Alta Performance em todas as áreas da sua vida, leia nosso E-book Seja um Profissional de Alta Performance e descubra muito mais! 

Não perca essa chance! Até a próxima!

#Atitude que te move

Um abraço,

Paulo Alvarenga (P.A.)