Você sabe quais são as maiores causas na queda de produtividade e afastamento do trabalho?

As transformações no mundo ocorrem de maneira acelerada. Vivemos cada vez mais em um ambiente veloz, dinâmico e incerto, é a chamada Era Exponencial, que tem como principal característica a ruptura dos modelos do mundo tradicional.

Nessa trajetória, precisamos ser capazes de reagir rapidamente, uma vez que, quem não acompanhar esse movimento ficará para trás.

No ambiente de trabalho não é diferente, muitas empresas acabam medindo o desempenho de seus colaboradores pela quantidade de atividades que eles conseguem desempenhar.

Pesquisas realizadas com mais de 12 mil pessoas em 85 países revelaram que a maioria delas trabalham mais de oito horas por dia, além disso, 46% ainda levam trabalho para casa.

Você sabia que aprender a gerenciar e equilibrar bem suas energias é importante se você deseja viver uma vida com níveis mais satisfatórios de produtividade?

Onde você tem gastado suas energias?

Numa lógica quase unânime, sabemos que desempenhar vários papéis ao mesmo tempo traz muitas implicações, seja na vida pessoal ou profissional.

Há por parte de muitos perfis, uma competência erroneamente valorizada: a multitarefa. Têm-se a ideia de que realizar várias atividades simultaneamente o tornará mais produtivo.

Mas estar sempre ocupado não é sinônimo de produtividade. A multitarefa é a atividade que mais nos rouba energia e mais nos torna ineficientes.

Responda a si mesmo:

  • Você consegue ser efetivo em tudo que faz?
  • Consegue conciliar uma vida saudável com projetos do trabalho?
  • Responder seus e-mails sem procrastinar?
  • Participar de todas as reuniões marcadas?
  • Ter alta performance no trabalho e boas relações interpessoais?
  • Praticar atividades físicas e ter qualidade de vida?

Se você respondeu não para mais de três itens é necessário ficar atento e acender o sinal de alerta. Esse pode ser o início de acontecimentos que podem gerar situações de estresse e ansiedade.

Talvez esteja focando toda sua energia em atividades que não irão trazer resultado algum.

Aprender a focar o pensamento aonde de fato está aumentam as chances de você ser mais efetivo e produtivo em seu dia a dia.

As maiores causas na queda de produtividade e afastamento do trabalho no Brasil

Você sabia que um dos aspectos que mais afeta a produtividade das pessoas é a qualidade de vida, e que ela está diretamente relacionada à saúde?

Um estudo realizado pelo INSS entre 2012 e 2018, indicou que em seis anos mais de 520 mil brasileiros foram afastados por auxílio doença. Isso representa cerca de 40 mil dias de trabalho produtivo perdidos por problemas de saúde.

As mulheres são maioria entre os beneficiários do auxílio, mas os homens ficam afastados do trabalho por mais tempo.

Será que você se encaixa nesse perfil? Vamos ver agora as principais causas:

1. Pressão em excesso e estresse no ambiente de trabalho

Nossos trabalhos ocupam boa parte de nossas vidas e por isso também são uma fonte de estresse significativo, mesmo que deem significado a elas.

Prazos curtos, agendas cheias, dias longos, não importa qual seja o seu trabalho, ele pode gerar ansiedade. No Brasil, 69 % das pessoas sofrem com estresse no ambiente corporativo.

O afastamento do trabalho causado por transtornos psicológicos lidera o topo da lista, e se tornou uma realidade preocupante.

A Síndrome de Burnout, ou, Síndrome do Esgotamento Profissional, entrou no cadastro da Organização Mundial da Saúde (OMS) como a síndrome mais crônica da atualidade.

Um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico. E a principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho, muito comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão.

Nunca houve uma época em que as pessoas tomassem tanto remédio no Brasil. E o mercado farmacêutico relacionado a venda de medicamentos controlados não para de crescer.

Você já se perguntou como é o seu ambiente de trabalho? Se sua empresa têm um ambiente saudável? Se você tem hábitos e atitudes que potencializam um ambiente de stress?

É preciso ficar atento! A Síndrome de Burnout e o estresse decorrente de ambientes onde há muita pressão, podem resultar em um estado profundo de depressão.

Ainda de acordo com dados da OMS, até 2020, a depressão pode liderar a lista das maiores causas de afastamento do trabalho em todo o mundo.

2. Mídias Sociais

Com que frequência você utiliza seu celular?

São diversos os estímulos que roubam nossa atenção, foco e concentração, características essenciais para qualquer indivíduo ter alto rendimento.

Sem sombra de dúvida, as mídias sociais estão no topo da lista. Tal que, os aparelhos celulares à palma da mão, transformaram uma ferramenta de comunicação num vício coletivo.

Uma pesquisa publicada na Forbes, nos alertou sobre os efeitos negativos das mídias sociais, mostrando-nos que elas não são boas para o bem-estar mental.

É fato que elas dificilmente irão embora, não há como retroceder, mas elas podem ocupar o status de vilã se mal utilizadas.

Segundo o consultor em gestão de pessoas, Pedro Zaros, cerca de 15% da distração dos funcionários no ambiente de trabalho é explicado pelo uso excessivo de aplicativos no celular.

Mas depois de refletir sobre o uso das mídias sociais, talvez ainda me responda: “Mas eu trabalho com celular!”.

Será que você realmente só o utiliza para o trabalho? Ou será que faz uso de maneira compulsiva, tornando seu dia menos produtivo e causando problemas à sua saúde?

Além de serem ótimos “ladrões” de produtividade, segundo Dr. Carlos César Vassalo, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia, as consequências causadas pelo uso excessivo podem ser ainda maiores, tais como dores no pescoço, ombro, tendinites e até dores na coluna.

Um estudo feito pela Faculdade de Medicina de Harvard, publicado na Revista Nature, constatou que a luz azul emitida pelos aparelhos celulares causa graves distúrbios ao sono.

Por isso é preciso fazer uma avaliação sincera sobre sua relação com esses dispositivos.

Existem hoje aplicativos como o Instagram, que medem a quantidade de tempo as pessoas passam conectados às redes sociais. Se questione: será que a tecnologia junto às mídias sociais está trabalhando a seu favor ou roubando horas preciosas do seu dia?

3. Dor nas costas

A Dorsalgia, popularmente conhecida como “dor nas costas”, é uma das doenças que também contribuem na queda de rendimento e levam ao afastamento do trabalho no Brasil.

Segundo dados do INSS foram 83, 8 mil casos em 2017, e em 10 anos a doença tem estado entre as que mais concedem auxílios-doença.

As maiores causas são provenientes de funções onde os profissionais passam muito tempo em uma mesma posição, com posturas inadequadas, movimentos repetitivos ou em atividades que exigem muito esforço físico.

Permanecer sentado muitas horas do dia, mesmo realizando atividades que exigem pouco esforço, também traz impacto à saúde.

Dificilmente o profissional que passa muitas horas nessa posição observa sua postura, já que foca toda a  atenção na atividade que realiza.

As dores nas costas atuam diretamente na queda de rendimento de muitos profissionais. E infelizmente são colocadas de lado por um número grande de pacientes.

O problema é que se não tratada, a dorsalgia evolui e o colaborador acaba sendo afastado.

 

O que você tem feito para não fazer parte dessas estatísticas?

 

A queda de produtividade é um fator que ajuda as pessoas medir a qualidade de vida. O baixo desempenho pode ser um alerta para questões mais sérias.

Logo, o autoconhecimento é o caminho para descobrir qual o impacto do baixo rendimento.

Nossa energia emocional está entre um dos fatores que mais rouba nossa produtividade, mas também existem outras áreas que podem diminuir a chance de você ser mais efetivo.

E como refletimos nesse blogpost, saber onde você gasta suas energias é importante para elevar seu desempenho e seu nível de produtividade.

Por isso descubra como a Roda da Vidauma ferramenta de Coaching utilizada pela Crescimentum, pode ajudá-lo a mapear onde tem gastado suas energias, a fim de viver uma vida mais equilibrada e de Alta Performance.

Abraços,

Paulo Alvarenga (P.A.)